FundaÁ„o Oswaldo Cruz

Webmail

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ

Destaques da Biblioteca de Hist√≥ria das Ci√™ncias e da Sa√ļde

 

 

 

Patrim√īnio cultural da sa√ļde em Goi√°s.

MORAES, Cristina de C√°ssia Pereira; Freitas, Lena Castello Branco Ferreira de; Souza, Rildo Bento de. Patrim√īnio cultural da sa√ļde em Goi√°s: institui√ß√Ķes hospitalares, assistenciais, de ensino e de pesquisa. Goi√Ęnia: UFG, 2017. 319 p.

  



 

 

A obra possibilita ao leitor o acesso √† ricas reflex√Ķes sobre a hist√≥ria da arquitetura hospitalar, da assist√™ncia e da sa√ļde em Goi√°s, do s√©culo XVIII √† contemporaneidade, tendo como foco duas cidades representativas desse recorte cronol√≥gico ‚Äď a Cidade de Goi√°s e Goi√Ęnia. Os cap√≠tulos revelam como os goianos se portaram frente √†s adversidades, como organizaram a assist√™ncia aos pobres ao longo do tempo e em per√≠odos de crise, como os de epidemia, de escassez de v√≠veres, de carestia, de desastres.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Escravismo em São Paulo e Minas Gerais.

LUNA, Francisco Vidal; Costa, Iraci del Nero; Klein, Herbert S. Escravismo em S√£o Paulo e Minas Gerais. S√£o Paulo: Imprensa Oficial do Estado de S√£o Paulo; Edusp, 2009. 621 p.

 

 

 

 



 

 

 

Re√ļne artigos sobre hist√≥ria demogr√°fica e estrutura econ√īmica nas duas prov√≠ncias nos s√©culos 18 e 19. As pesquisas t√™m como base documentos da √©poca que evidenciam uma sociedade que foi descrita atrav√©s de estudos realizados at√© meados do s√©culo 20. A hist√≥ria de negros que, ap√≥s alforriados, compravam escravos para trabalharem para eles.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

S√≠filis e reforma da sa√ļde na Bahia (1920-1945).

BATISTA, Ricardo dos Santos. S√≠filis e reforma da sa√ļde na Bahia (1920-1945). Salvador: EDUNEB, 2017. 280 p.

  

 


 

 

 

 

  

S√ćFILIS E REFORMA DA SA√öDE NA BAHIA (1920-1945) de Ricardo Batista situa-se na conflu√™ncia das √°reas de hist√≥ria da sa√ļde p√ļblica, da medicina e das doen√ßas, representando importante contribui√ß√£o para a compreens√£o da trajet√≥ria pol√≠tico-sanit√°ria da Bahia de 1920 at√© 1945, com aten√ß√£o para o universo social, os v√≠nculos e as diferen√ßas entre o contexto local e os de outras regi√Ķes do pa√≠s. Livro essencial para interessados em hist√≥ria da sa√ļde p√ļblica na Bahia e no Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

Bens culturais e direitos humanos.

SOARES, Inês Virgínia Prado; Cureau, Sandra. Bens culturais e direitos humanos. São Paulo: Sesc, 2015. 511 p.

 

 

 

 

 

 

 

A obra trata da cultura como um direito, e n√£o um luxo. Objetos e pr√°ticas culturais expressam valores essenciais √† comunidade que os cultiva, pois perpetuam sua identidade, preservam a mem√≥ria e possibilita novos usos e significados quando mantidos vivos e atuais. Re√ļne artigos oriundos de um semin√°rio realizado no Centro de Pesquisa e Forma√ß√£o do Sesc, esta obra procura definir, por meio de abordagens variadas (filosofia, hist√≥ria, direito, sociologia, arquitetura), a natureza e o alcance dos direitos culturais, discutindo o patrim√īnio natural e o conhecimento tradicional, a import√Ęncia da mem√≥ria e da preserva√ß√£o de vest√≠gios materiais para a investiga√ß√£o da verdade hist√≥rica, e como promover o acesso a esses bens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cultura, "favela é cidade" e o futuro das nossas cidades.

VELLOSO, João Paulo dos Reis. Cultura, "favela é cidade" e o futuro das nossas cidades. Rio de Janeiro: INAE, 2014. 277 p.

 

 

  

 

 

 

 

Re√ļne textos dos temas debatidos no Painel II ‚ÄúFavela √© cidade‚ÄĚ: fazer acontecer e na Sess√£o de Encerramento ‚ÄúO futuro das nossas cidades‚ÄĚ, inclusive cultura do F√≥rum Nacional (sess√£o especial) realizado nos dias 10 e 11 de setembro corrente, no BNDES.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arquiteturas no Brasil: 1900-1990.

SEGAWA, Hugo. Arquiteturas no Brasil: 1900-1990. S√£o Paulo: EdUSP, 2014. 224 p.

 

 

 

 

 



 

 

 

Vis√£o abrangente da arquitetura brasileira no s√©culo XX, propondo inicialmente uma reinterpreta√ß√£o das v√°rias vertentes do movimento moderno at√© a Segunda Guerra, organizadas em tr√™s linhas: modernismo program√°tico (1917--1932), modernidade pragm√°tica (1922-1943) e modernidade corrente (1929-1945). Continuando seu estudo com o panorama do per√≠odo p√≥s-guerra, o autor analisa os embates ideol√≥gicos, as principais realiza√ß√Ķes arquitet√īnicas e seus protagonistas, entre eles Oscar Niemeyer, L√ļcio Costa e Vilanova Artigas, assim como o trabalho de arquitetos estrangeiros que se radicaram no pa√≠s, chegando at√© a atualidade, com a aus√™ncia de rumos que caracterizou a chamada d√©cada perdida de 1980 e seus desdobramentos recentes. Hugo Segawa realiza, dessa forma, uma leitura atenta e original das pol√™micas, das conquistas e tamb√©m dos malogros envolvidos na aventura de construir espa√ßos, edif√≠cios e cidades num pa√≠s em constante forma√ß√£o.

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

História das livrarias cariocas.

MACHADO, Ubiratan. História das livrarias cariocas. São Paulo: EdUSP, 2012. 510 p.

  

 


 

 

 

A História das Livrarias Cariocas abrange um período de mais de três séculos e meio, do início tímido do comércio de livros na cidade às modernas livrarias. Entre estes extremos, viveram e prosperaram algumas das mais famosas e importantes livrarias brasileiras, - Paula Brito, Garnier, Laemmert, Francisco Alves, Civilização Brasileira, José Olympio, São José, e centenas de outras casas que, durante mais de cem anos, garantiram o Rio de Janeiro como o maior mercado livreiro e o principal polo cultural do país. Neste panorama, claro, um papel fundamental cabe aos livreiros, personagens de relevo nesta apaixonante história, escrita em estilo claro, com o rigor de uma obra de história e a leveza de uma reportagem. Uma história fascinante que é também uma espécie de síntese da vida intelectual, social e, por vezes, política do país.  

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brasil, 500 anos em documentos.

ALVES FILHO, Ivan. Brasil, 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. 653 p.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um livro de refer√™ncia, de car√°ter did√°tico, destinado a estudos e consultas sobre documentos que registram a Hist√≥ria do Brasil. Voltada para professores, estudantes, historiadores e cientistas sociais e pol√≠ticos, esta obra √© tamb√©m um guia para uma viagem atrav√©s do 'tempo brasileiro'. Um guia que impulsiona o leitor para os momentos mais significativos da Hist√≥ria do Brasil. Da Carta de Caminha ao impedimento de Collor de Mello, s√£o mais de 300 documentos, dos quais 93 principais expostos na √≠ntegra, e mais de 30 indica√ß√Ķes bibliogr√°ficas apontadas pelo historiador Ivan Alves Filho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arquitetura contempor√Ęnea no Brasil.

BRUAND, Yves; Goldberger, Ana M. Arquitetura contempor√Ęnea no Brasil. S√£o Paulo: Perspectiva, 2016. 398 p.

 

 

  

 

 

 

'Arquitetura contempor√Ęnea no Brasil', de Yves Bruand, apresenta um estudo sobre o conjunto dos promotores do movimento arquitet√īnico brasileiro. Warchavchik, Niemeyer, L√ļcio Costa, Reidy, Rino Levi, Artigas e outros s√£o objeto de an√°lises rigorosas com respeito a suas realiza√ß√Ķes individuais e suas participa√ß√Ķes em conjuntos como o Minist√©rio da Educa√ß√£o, Pampulha, Bras√≠lia, etc, bem como no tocante √† contribui√ß√£o e √† significa√ß√£o deste trabalho para o processo art√≠stico e cultural que os integra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

História da cidade.

BENEVOLO, Leonardo. História da cidade. São Paulo: Perspectiva, 2015. 728 p.

 

 

 

 

 

 

 

 

A cidade, uma criação histórica particular, nem sempre existiu, mas começou em certo momento da evolução social e pode acabar, ou ser radicalmente transformada, em outro momento. Não existe por uma necessidade natural, mas por uma necessidade histórica, que tem um início e pode ter um término. O livro explica a origem da cidade no mundo antigo e também, na medida do possível, o seu destino.